Rotterdam - The Game Master

Um jogo de Hans Van Tol para 2 a 4 jogadores, a partir dos 8 anos, com a duração de 60 minutos.

Objectivo do JogoO jogador que tiver o maior número de pontos de vitória, ganha o jogo. Os pontos de vitória são ganhos através da colocação das matérias-primas dentro dos barcos dos jogadores, que navegam pelos canais congestionados do “Rio Maas” e que conseguem entregar as suas matérias-primas no porto correcto. Desta forma, os jogadores ganham as cartas de produtos, as quais trazem os pontos de vitória. Os jogadores podem aumentar os seus pontos de vitória, reunindo as combinações dos produtos das suas cartas de tarefas.

Material do Jogo
» 1 Tabuleiro de jogo;
» 1 Livro de regras;
» Capitão do Porto (peão azul);
» 1 Marcador (disco azul);
» 20 Navios em 4 cores (vermelha, amarela, laranja e verde);
» 24 Matérias-primas (amarelas, vermelhas, cinzentas e pretas);
» 60 Cartas de Produtos;
» 46 Cartas de Tarefas;
» 20 Cartas de Navegação.

Preparação do Jogo


A-Distribuição do Navios
Cada jogador escolhe a cor e recebe 4 navios da cor escolhida. Com 2 jogadores, cada jogador recebe 5 navios.

B-Posicionamento das Matérias-primas
Separam-se as matérias-primas em 4 grupos de cor diferentes, distribuindo-as pelos quadrados que se encontram junto à borda do lado esquerdo do tabuleiro de jogo. As cores das matérias-primas devem corresponder às cores dos quadrados. Assim, as 7 peças de cereais são posicionadas no quadrado amarelo com o desenho da espiga de milho e as 5 peças de fruta são posicionadas no quadrado vermelho.

C-Posicionamento das Cartas de Produtos
Existem 4 tipos de cartas de produtos, que podem ser identificadas de várias formas: através do nome do porto que se encontra inscrito nas cartas, através do desenho das matérias-primas, que devem ser entregues nesse porto ou através da sua cor. Por exemplo, as cartas “Vulcaanhaven” em “Vlaardingen” são de cor amarela e têm o desenho da espiga de milho. Separa as cartas de produtos pelos 4 portos e forma 4 baralhos de cartas. Baralha bem cada um desses baralhos de cartas e coloca-os, com a face que tem o nome do porto visível, virada para cima, nos espaços reservados para elas junto aos portos.

D-Cartas de Tarefas
As cartas de tarefas são reconhecidas pela sua cor azul e pelo desenho de todos os produtos em círculo, nas suas costas. Baralha as cartas de tarefas e dá 3 a cada um dos jogadores, de maneira a que os outros jogadores não vejam o seu conteúdo. Posiciona as restantes cartas com a face, que tem o desenho dos produtos, virada para cima, no espaço reservado para elas junto ao “World Port Center”.

E-Cartas de Navegação
As cartas de navegação podem ser reconhecidas pela imagem de um navio e de uma âncora nas costas das cartas. Baralhas as cartas de navegação e posicionas, com as costas viradas para cima, no espaço reservado para elas junto ao “World Port Center”.

F-Posicionamento do Marcador
O marcador (disco azul) tem de ser colocado no canto superior esquerdo do tabuleiro de jogo, na posição (1) do círculo.
Com a movimentação do marcador, os jogadores podem saber de imediato em que fase do jogo se encontram a jogar.

Visão Geral do Jogo
Todos os jogadores podem fazer as seguintes acções durante o jogo:
1. Colocar um navio e uma peça de matéria-prima em cima dele. Os jogadores podem escolher o seu ponto de partida e a cor da matéria-prima;
2. Navegar no “Rio Maas” com os navios. Ao escolher uma cor, os navios dos vários jogadores navegam através do canal dessa cor, cada jogador escolhe uma cor;
3. Tira uma carta de navegação quando o teu navio pára num espaço de navegação com uma âncora;
4. Transporte e processamento de mercadorias nos portos: os jogadores que entregarem as matérias-primas correctas irão receber cartas de produtos;
5. Negoceia a troca de cartas de produtos com outros jogadores;
6. Apresenta combinações de cartas de produtos com o objectivo de completar uma tarefa.

Modo de Jogar
O jogador mais novo é o primeiro Capitão do Porto e coloca o peão de capitão do porto à sua frente. O capitão do Porto começa cada fase do jogo e os outros jogadores jogam, no sentido dos ponteiros do relógio.
Todos os jogadores passam pelas seis fases que se seguem:

Fase 1 – Colocar um Navio e carregar Matérias-Primas
Começado pelo Capitão do Porto, cada jogador pode colocar um dos seus navios numa qualquer posição de partida à sua escolha, e colocar uma peça de matéria-prima, da sua preferência, em cima do navio.
No final desta fase, o Capitão do Porto, desloca o marcador (do círculo do canto superior esquerdo) da posição (1) para a posição seguinte, ou seja, para a fase seguinte (2).

Situações especiais que podem ocorrer na fase 1 do jogo:
<> Nenhuma posição de partida disponível. A partir da segunda jogada do jogo, pode ocorrer que o jogador não possa colocar um navio, uma vez que não existe qualquer posição de partida disponível. Os jogadores não são obrigados a colocar um navio.
<> Nenhuma matéria prima disponível. A partir da segunda jogada do jogo, pode surgir uma situação em que certo tipo de matéria-prima está (temporariamente) sem stock. O jogador tem de escolher outra matéria-prima diferente, ou pode decidir colocar um navio sem carga, ou não colocar qualquer navio.
<> Nenhum navio disponível. Depois de algumas jogadas, pode ocorrer que o jogador não tenha navios disponíveis. Uma vez que a disponibilidade de navios é um factor crítico, os jogadores podem escolher não colocar um navio nesta fase do jogo, se não conseguirem encontrar um bom lugar de partida e/ou matérias-primas.

Sugestões Tácticas da Game Master
Escolhe matérias-primas que contribuam para completares a tua tarefa. Por exemplo, se tiveres a tarefa de entregares pão e sumo de laranja, será sensato levares a bordo cereais (peças amarelas) e direccionares um dos teus navios para “Vulcaanhaven” e transporta a fruta (peças vermelhas) para “Merwehaven”.
Não te esqueças que a posição de partida tem uma grande influência nas possibilidades que o teu navio tem de chegar ao porto correcto.


Fase 2 – Navegação no “Rio Maas”
Cada jogador tem de escolher uma cor, começando pelo Capitão do Porto. A cor escolhida tem de ser uma das cores dos canais. Os navios de todos os jogadores que estão antes do canal da cor escolhida, têm de ser mover para o espaço imediatamente em frente (ou seja um espaço em frente).
O movimento dos navios ocorre na seguinte ordem;
1º movimentam-se os navios do jogador que escolheu a cor;
2º movimentam-se os navios do jogador que está à sua esquerda;

Depois os restantes jogadores, no sentido dos ponteiros do relógio, até que todos os jogadores tenham movimentado os seus navios (se possível).
Se um navio está antes de 2 canais com a mesma cor, o proprietário do navio pode determinar qual a direcção que o seu navio irá seguir.
Agora, o jogador à esquerda do Capitão do Porto escolhe uma cor. Os outros jogadores também têm a sua vez de escolher a cor, no sentido dos ponteiros do relógio.
Os jogadores podem escolher uma cor que já tenha sido escolhida.
Quando todos os jogadores tenham escolhido uma cor, o marcador (no círculo do canto superior esquerdo) move-se para a fase 3.

Sugestões Tácticas da Game Master
Quando escolhes a cor, tenta adivinhar quais as cores que os outros jogadores irão escolher, para assim beneficiares dessa escolha. Se procederes de forma hábil, podes conseguir fazer vários movimentos numa mesma jogada. Tenta fazer com que os navios dos outros jogadores naveguem para direcções erradas, ou usa a táctica de bloqueio para travares a progressão dos outros jogadores.

Fase 3 – Cartas de Navegação
Cada navio que esteja num espaço com uma âncora, no início desta fase, dá ao seu proprietário uma carta de navegação. Os jogadores podem usar as suas cartas de navegação em qualquer fase do jogo, mas só quando estão na sua vez de jogar.
Depois de os jogadores terem recebido as suas cartas de navegação, o Capitão do Porto move o marcador para a fase 4.
Fase 4 – Transporte e Processamento de Mercadorias nos Portos
Nesta fase, a carga de cada navio no porto é descarregada. Os jogadores irão receber as cartas de produtos correspondentes às matérias-primas entregues. O Capitão do Porto é o primeiro a receber as suas cartas de produtos, depois no sentido dos ponteiros do relógio, os outros jogadores. As matérias-primas regressam aos respectivos quadrados do tabuleiro de jogo e os navios regressam aos jogadores. As matérias-primas e os navios podem agora ser usados outra vez. Se um navio chegar ao porto com a matéria-prima errada ou sem carga, o proprietário do navio não recebe qualquer carta de produto e o navio regressa ao jogador.
Por exemplo, se o navio com cereais (peça amarela) chegar ao porto de “Botlek”, onde só petróleo pode ser processado, então os cereais devem regressar ao respectivo quadrado do seu stock e o navio regressa ao jogador. O jogador não recebe qualquer carta de produto e não ganha qualquer ponto de vitória.
Depois de processada a carga de todos os navios nos portos, o marcador move-se uma posição em frente, ou seja para a fase 5.

Sugestões Tácticas da Game Master
Se não conseguires tirar o produto que precisas para obteres a tua combinação de produtos, tens duas alternativas: navegas com outro navio com a mesma matéria-prima para o porto, ou trocas produtos com os outros jogadores.


Fase 5 – Troca de Produtos
Nesta fase, os jogadores podem trocar cartas de produtos uns com os outros. Os jogadores podem escolher quais as cartas que pretendem mostrar para troca. A sequência de jogar nesta fase é irrelevante. Trocar produtos pode ser útil para completares a tua tarefa. Se nenhum dos jogadores quiser efectuar mais trocas, o Capitão do Porto coloca o marcador na fase 6.
Fase 6 – Completar Tarefa
Quando o marcador se encontra na fase 6, não é permitido efectuar mais trocas de produtos. Cada jogador pode completar uma das suas tarefas, entregando as cartas dos produtos que formam a combinação dos produtos da sua carta de tarefa.
O Capitão do Porto começa e os outros jogadores jogam no sentido dos ponteiros do relógio.
Nesta fase, cada jogador só pode completar uma tarefa. A carta de tarefa é colocada com a face virada para cima em frente ao jogador, para que se vejam os pontos de vitória. As cartas de produtos são retiradas do jogo. Agora todos os jogadores podem ver os pontos de vitória que foram ganhos.
Quando um jogador completa uma tarefa, pode tirar uma nova carta de tarefa do cimo do baralho de cartas respectivo.

Sugestões Tácticas da Game Master
O jogador pode escolher coleccionar várias cartas de produtos, sem as revelar, mesmo quando já tenha completado uma tarefa. A vantagem desta estratégia tem um efeito positivo no número de combinações e na flexibilidade para as formar. Pode tornar-se numa estratégia arriscada no fim do jogo, uma vez que os jogadores não podem completar mais do que uma tarefa nessa jogada.

Fim da jogada
Quando todos os jogadores tiverem efectuado a sua fase 6, o Capitão do Porto entrega o seu peão ao seu sucessor, o jogador à sua esquerda. O novo Capitão do Porto inicia uma nova jogada, colocando o marcador na posição (1), correspondente à fase 1.

Fim do Jogo
Assim que um jogador consiga obter 12 pontos de vitória com as suas cartas de tarefas, a fase 6 terá de ser completada e só depois terminará o jogo.
Todos os jogadores têm uma última oportunidade para completar uma tarefa.

Vencedor do Jogo
Os jogadores somam os pontos de vitória das suas cartas de tarefa (que estejam com a face virada para cima), os pontos das suas cartas de navegação e os pontos das suas cartas de produtos.
O jogador com o maior número de pontos de vitória é o vencedor. Na eventualidade de existir empate, o jogador com o maior número de pontos de cartas de tarefa é o vencedor. Se mesmo assim o empate prevalecer, o jogador com o maior número de cartas de produtos é o vencedor.

Nota: O jogador que conseguir ser o primeiro a obter 12 pontos de vitória com as suas cartas de tarefa, não é necessariamente o vencedor do jogo.

As cartas de Navegação
Na fase 3 do jogo, os jogadores podem receber cartas de navegação. Estas cartas podem ser jogadas em qualquer uma das fases do jogo. A única restrição é que as cartas devem ser usadas durante a sua vez do jogador.
Não é permitido ao jogador guardar mais do que 3 cartas de navegação. As cartas de navegação com pontos de vitória (vantagens) podem ser colocadas na mesa de forma visível. Assim. dá ao jogador a oportunidade de ganhar novas cartas de navegação. Se não existirem mais cartas de navegação no tabuleiro de jogo, as cartas de navegação que tenham sido usadas, são baralhadas e formam um novo baralho de cartas.







As regras simples e muito bem explicadas pelo autor do jogo, torna possível que possamos começar a jogar muito rapidamente. Podemos até, começar a jogar, à medida que vamos lendo as regras do jogo, com a descrição de cada fase. Tudo isto é possível graças a uma preparação do jogo simples e rápida.
Antes de posicionar um barco numa das posições de partida, devemos ter atenção aos canais que possibilitam que o nosso barco possa chegar ao porto onde pretendemos entregar as matérias-primas que transportamos. Além disso, devemos observar como está o panorama do tabuleiro do jogo, no que diz respeito ao posicionamento dos barcos dos nossos adversários, as cargas que eles transportam, que canais os nossos oponentes precisam de utilizar para chegarem ao porto que desejam descarregar as matérias-primas que transportam e que canais podem vir a ficar bloqueados e/ou que podes beneficiar em função das escolhas dos teus oponentes. Tenta posicionar os teus barcos para que possas movimentá-los, ao mesmo tempo, quando escolhes uma cor dos canais, ou os teus adversários façam essa escolha.
As cartas de navegação são uma grande ajuda à tua navegação pelos canais, assim como podem dar pontos de vitória adicionais. Por isso planear a tua rota de navegação para que passe numa posição com uma âncora, pode ser uma boa estratégia.
O grafismo do jogo ajuda muito na compreensão de toda a mecânica do jogo. A bússola no canto superior esquerdo com a descriminação de todas as fases do jogo é um bom exemplo disso. A bússola faz com que o jogo seja dinâmico, pois os jogadores sabem sempre o que fazer e em que fase do jogo este se encontra.
Nota menos positiva para a caixa do jogo, que não tem espaços individuais para acomodar os componentes do jogo, sendo necessária a utilização dos sacos plásticos para arrumar as várias peças do jogo.
Os componentes do jogo são de qualidade, de realçar o realismo das miniaturas dos barcos e dos contentores das matérias-primas.
Estamos perante um jogo interessante, com muitas possibilidades estratégicas e tácticas, que requer muita atenção a tudo que se passa nos vários canais e portos, e onde o factor sorte tem pouco peso na determinação do vencedor.
Mais um exemplo de um jogo com regras simples, fáceis de compreensão, com estratégia e onde a interacção entre os jogadores é constante, dando uma grande dinâmica ao jogo.


Tema/Objectivo









7
Mecânica/Regras









7
Componentes/Artwork









7
Jogabilidade/Interacção









8
Estratégia/Dificuldade









6
Duração/Diversão









8
Originalidade/Criatividade









7
Preparação/Começar a jogar









9
Caixa do jogo/Apresentação









7
Preço/Vale o Dinheiro









8
Apreciação Global7,4


dreamwithboardgames
Hans Van Tol Masters of Trade
The Game MasterBoardGameGeek


Paulo Santos
Paulo Santos
Paulo Santos
Maria Constança Silva

19 comentários:

Carlos Abrunhosa disse...

A originalidade de que falas também se encontra em outros jogos mas de uma forma um pouco diferente. Exemplo disso é Cartagena, onde uma das coisas que podes fazer é mover o "pirata" adversário recolhendo daí a possibilidade de biscar uma a duas cartas.
Este jogo está muito mal classificado no ranking BGG... com uma média de 5,73! O que te leva a atribuir 7,4?
Abraço. Espero por ti esta semana!

Paulo Santos disse...

Não vou falar ou comparar com o Cartegena, uma vez que não conheço o jogo.

Se dizes que a originalidade de que falo “se encontra noutros jogos de forma diferente”, é porque neste é mesmo diferente, e de facto o mecanismo do jogo é mesmo original, não conhecendo até à data de lançamento deste jogo, algo parecido.

Quanto à avaliação do jogo, ainda bem que é diferente do BGG. Primeiro porque o meu método de avaliação dos jogos é fundamentado em critérios específicos tais como: originalidade, jogabilidade, design, regras e vale o dinheiro, ao contrário do BGG (sites e blogs) em que as avaliações são calculadas sem qualquer fundamento ou critério, coloca-se 8, 9 ou 6 mas sem qualquer discriminação de como esse valor foi encontrado. Se o fizessem, tenho a certeza que muitas avaliações seriam bastante diferentes.

Segundo, a avaliação atribuída no BGG não pode ser levada muito a sério, uma vez que o seu método de média de calculo não é matemático. É fácil encontrar vários artigos na net a por em causa os métodos utilizados pelo BGG. Se quiseres saber a média verdadeiramente matemática deste jogo no BGG às 21.50 de hoje era de 6,35 e não 5.73 como lá aparece.

Terceiro, ainda bem que sou diferente do BGG, porque não me considero “uma Maria vai com as outras” e nem reconheço ao BGG a verdade absoluto sobre jogos. Até digo mais é uma má fonte para quem quiser escolher jogos basear-se nas notas atribuídas no BGG.

Quarto, não nos podemos esquecer das manipulações comerciais que são feitas no BGG para a venda de jogos, pois só assim se percebe como é possível um jogo, qualquer que ele seja, ter sido avaliado com pontuações entre 1 e 10 ao mesmo tempo.

Tens aqui outro site em que dá 7/10 a este jogo:
http://www.spellenclub13.be/recensies/Rotterdam.htm

Para finalizar, posso dizer que este jogo vale a nota de 7.4/10 dentro dos meus critérios de avaliação, como também posso dizer que valeriam ainda muito mais, caso o seu autor tivesse explorado todas as suas potencialidades. Espero que a expansão que saiu no final do ano passado, venha explorar essa lacuna. E se este jogo teve direito a esta expansão é porque vendeu e porque houve muitas pessoas que gostaram do jogo e o compraram, ao contrário do que o BGG agoirou.

Isto é como quem compra um carro, só devemos ter atenção as críticas feitas por pessoas com critérios, fundamentos e em se confia. Ou compravas um carro pelas votações das pessoas num site sem critérios ou fundamentos?

Não te tinha como um fundamentalista do BGG.

Carlos Abrunhosa disse...

Em primeiro respondo à tua última consideração, de que sou "fundamentalista". Espero que mudes de opinião porque coisa que não sou é fundamentalista! :)

Em segundo lugar não percebo porque respondeste a uma pergunta "ao ataque", ou pelo menos é essa a minha interpretação do teu comentário... Eu apenas te confrontei com a nota do BGG, que vale o que vale assim como a tua opinião, e não me leves a mal por isso, vale o que vale. Tens todo o direito em dar 7,4 ou 10 a este jogo, eu só perguntei porque dás essa nota e no BGG dão menos, e ponto final. Acho que só precisavas dizer - porque gosto muito do jogo - e eu ficava consolado com a resposta!
Quanto a este Rotterdam, não conheço e não tenho opinião nenhuma sobre ele, deve ser bom pois 7,4 é uma boa nota! Trás para jogarmos um dia desses.

Carlos Abrunhosa disse...

Já agora tens de experimentar o Cartagena. É um clássico!

Paulo Santos disse...

Podemos experimentar o Cartagena na próxima jogatina...

Dark disse...

Concordo com o Paulo, as votações do BGG não são crediveis. Eu gosto mt das tuas análises e não me tenho engando qd compro um jogo, tendo em conta as teus comentários.

Scotch disse...

Sou da opinião do Dark. Paulo tens toda a razão quando dizes que:
"As opiniões tem sempre o seu valor quando fundamentadas e concretizadas objectivamente"
Ao contrário da maioria dos blogs e sites, aqui a avaliação dos jogos é feita com objectivadade!
Estás a fazer um bom trabalho!
Parabéns!

Luke disse...

Carlos,
deves participar como todos nós nos comentários, mas foste um pouco infeliz na tua pergunta, parecia que estavas a pôr em causa a seriedade da avaliação ao jogo, só porque o BGG tinha outra avaliação.
O Paulo respondeu de uma forma muito clara e correcta, não tens que levar a mal, antes pelo contrário deves seguir o seu exemplo de imparcilidade, dedicacão e "profissionalismo". Para sites e blogs com conversa da treta estamos fartos, queremos algo sério e com qualidade, que aqui se pode encontrar.
Mas a tua opinião é sempre bem vinda. Tens de ser é mais objectivo, e esquece o BGG!
O BGG só é bom para ver fotos, tirar regras, foruns de dúvidas e outras coisas mais, menos ver votações a jogos.
Um abraço

Kátia disse...

Não posso ficar indeferente ao comentário do Carlos: "assim como a tua opinião, e não me leves a mal por isso, vale o que vale". Axo q foi mt infeliz esta afirmação do Carlos. Só uma pessoa que n conhece o trabalho desenvovido pelo Paulo, pode fazer tal afirmação. Não sou 1 expert em jogos de tabuleiro, mas já joguei vários jogos com as traduções do Paulo e possso dizer q são excelentes, consegue ensiar mt bem como jogar 1 jogo.
Gosto mt deste projecto de blog, é mt objectivo, nõa tem "conversas da treta" com outros blogs.
Carlos, tens mt k aprender com o Paulo.
Beijocas para o Paulo, que gostaria de conhecer um dia deste.
PS: dei-me ao trabalho de criar um e-mail no google só para deixar esta msg.

Carlos Abrunhosa disse...

Mais uma coisa Luke tem que ler mais o fórum do BGG para clarificar essa tua ideia errada de que no BGG não podes tirar notas a jogos! Procura bem nos fóruns que encontrarás boas reviews de gente que conhece muito bem aquilo que diz!

Luke disse...

ena pá!
isto parece uma novela, a birra do carlinhos...:)
Para sua informação não conheço pessolamente o Paulo, apenas conheço o trabalho dele.
Não sou pombo, sou pombinha...

Outra coisa, deves ler melhor ou intrepretar o Português, eu disse que as votações dos jogos na tabela de votos dos jogos não é dedefiar, e claro temos de escolher a informação, nem tudo vale a pena.

Já agora tem agum blog para ver o seu trabalho?

Dark disse...

Axo que o Paulo deveria apagar td isto, não faz qq sentido.
A ideia que temos de ficar é q o trabalho que está neste blog é mt bom e de qualidade.
Quem tiver um trabalho melhor que o diga. Assim td vamos ver se é verdade.
Estamos aqui para falar de jogos, não de guerrinhas.
A postura do Paulo foi correcta disse o q tinha a dizer e ponto final. E aconselho-o a não fazer mais declarações.
Tudo o que disse está correcto. Quem ficou mal nesta histório foi o Carlos.
Se tens algum trabalho publicado, diz pois gostaria de conhecer?
Espero que seja de qualidade...
Para trestas há muito na net.

simpson disse...

UPS!!! Tá animado.
Pessoal tenho o jogo, gosto do jogo, não é um Agricola, mas tá engraçado.
Concordo com a avaliação do Paulo e espero que a expansão do jogo venha de facto dar mais alento ao jogo
Abraços
Fiquem bem!

TaxiDriver disse...

sim está mesmo animado.
Aqui vai a minha opinião.
Depois de jogar o jogo sentimos que podia ser melhor, falta qualquer coisa mais.
A avliação de 7,4 parece-me bem, contudo daria mais no item design, mas concordo no geral.
A tradução das regras está 10/10!!!

TaxiDriver disse...

O blog vale 10/10. Bom trabalho!

Paulo Santos disse...

Quero agradecer todas as mensagens. Com elas conseguiram que este artigo passasse a ser o mais consultado e aquele com mais comentários do blog. O meu obrigado!
Não vou seguir com a sugestão do Dark. Este blog é livre, todos podem exprimir a sua opinião.
Como nos jogos de tabuleiro, há que saber ganhar e perder!
Um abraço para os meninos e beijinhos para as meninas :)
Voltem sempre, há mais artigos para ler e comentar.

simpson disse...

Touché!

Indiana disse...

Gostei do artigo sobre o jogo. De facto a movimentação do jogo é original.
Não concordo com a pontuação do Design, acho que 6 é pouco, podias ter sido mais genereso... :)

Onde possso encontrar o Master of trade?

Fica bem!

Paulo Santos disse...

O jogo está à venda na Pevans (Inglaterra).
Na barra do lado esquerdo do site podes encontrar o link para este site.
Também podes contactar a Diver para encomendar o jogo.

Bons jogos!