Petróleo - Karto

Como o Natal é um momento de nostalgia, nada melhor do que falar sobre um jogo que me acompanha à mais de 25 anos. O “Petróleo”, o jogo que mais vezes joguei até hoje.
O tabuleiro de jogo representa um país imaginário, cuja a sua única riqueza é o Petróleo.
Uma vez que o país imaginário não tinha capacidade de exploração petrolífera, dividiu o seu território em zonas de exploração, terra e mar, autorizando as companhias internacionais da especialidade a fazer a exploração do petróleo, mediante o pagamento de determinadas importâncias.
Cada quadrado do tabuleiro necessita de uma licença de prospecção que a companhia interessada comprará ao banco.
O país cobra também vários impostos, assim como concede regalias às varias companhias de petróleo.
Todos os negócios são realizados através do banco do país, o “Banco da Kartolândia”.
Este jogo não é somente um jogo de sorte, ele põe à prova as capacidades de cada jogador para os negócios.
O jogador, na sua vez de jogar, pode utilizar a carta que vai jogar, para aumentar o poder da sua companhia, como pode procurar vender a regalia que essa carta oferece a outra companhia que mostre interesse sobre a carta.
Contudo, a ordem de jogar nunca se altera. Se venderes a tua carta a outra companhia, quem comprou, tem o direito de jogar na sua vez.
Para adquirir um reservatório de petróleo ou gás, a seguinte ordem tem de ver observada:
1- Tens de comprar uma licença de prospecção
2- Tens de comprar uma torre de prospecção para colocar sobre a licença.
3- Só depois de realizados os passos 1 e 2 podes substituir a torre de prospecção por um depósito de petróleo ou gás.
Só depois do passo 3, começas a ter lucros na passagem de ano.
Se comprares petroleiros ou camiões cisternas, não tens de pagar pela licença. Ela vem juntamente com o petroleiro ou camião cisterna para identificar a que companhia pertence.
Antes de começar o jogo, os jogadores têm de eleger um banqueiro, que ficará responsável por todas as transacções do “Banco da Kartolândia”.
Existem 60 cartas, mas só serão utilizadas no jogo, o número de cartas em função do número de jogadores. As 60 cartas só entram em jogo, quando temos 6 jogadores.
Existe sempre um petroleiro e um camião cisterna a menos do que o número de jogadores.

Depois de determinado o número de cartas que vão a jogo e de terem sido baralhadas, o banqueiro dá a cada jogador 4 cartas e as restantes cartas formam um baralho, que é colocado no espaço apropriado do tabuleiro, com a face virada para baixo. De seguida, cada jogador recebe 200 milhões de Kartos (capital inicial).
Os símbolos das companhias são distribuídos, eles representam as licenças que cada jogador vai comprar conforme as suas necessidades.

Compete ao banqueiro pagar, receber, distribuir ou receber as torres e reservatórios, licenças de exploração, nacionalizações, petroleiros e camiões cisternas, assim como fiscalizar o bom funcionamento do jogo.
As cartas dão duas indicações, o número de casas que o marcador azul, colocado no trilho em volta do tabuleiro, irá avançar e aquilo que poderá ser comprado ou negociado (se puder e quiser).

Por exemplo, um jogador jogou uma carta com o direito a comprar um reservatório, mas não o puder fazer, porque ainda não tem uma torre de prospecção, então vê se outra companhia (outro jogador) o quer comprar. No caso de haver mais do que um interessado, é feito um leilão e ganha quem der mais.
A companhia que comprou o reservatório, além do que pagou por ele, tem ainda de pagar ao banco o valor do reservatório.

Todos os tipos de cartas podem ser negociadas, sempre que um jogador as não quiser utilizar. Se por outro lado, um jogador jogar uma carta com o direito a comprar um reservatório, mas não o pode fazer por não estar dentro das condições exigidas, e nenhuma outra companhia mostrou interesse em negociar, o jogador perde o direito a esse reservatório

Modo de Jogar
O jogador que estiver à esquerda do banqueiro inicia o jogo, colocando o marcador azul no quadrado ”passagem de ano” no trilho em volta do tabuleiro do jogo.
Depois tira uma carta do baralho, junta-a às que ja possui, vê a que lhe interessa jogar e coloca-a no espaço ao lado do baralho de cartas, com a face para cima, cumprindo se quiser e puder o que diz a carta. Em seguida avança com o marcador azul no número de espaços que a carta indica, terminando a sua vez de jogar.

O jogador que estiver à sua esquerda inicia a sua vez de jogar e procederá da seguinte forma:
1-Cumpre com o que diz o quadrado onde está o marcador azul.
2-Tira uma carta do baralho, junta-a às que já possui, vê a que lhe interessa jogar, coloca-a ao lado do baralho de cartas com a face para cima.
3-Cumpre com o que diz a carta se puder e quiser.
4-Avança o marcador azul pelo número de quadrados que a carta indica e a sua vez de jogar terminou.

O jogador à sua esquerda tem agora a sua vez de jogar, e fará precisamente e pela mesma ordem os passos atrás mencionados, e assim sucessivamente.

O marcador azul andará sempre à em volta do trilho desenhado nas bordas do tabuleiro, na direcção da seta desenhada.

Quando não houver mais cartas no baralho, os jogadores continuam a jogar até que se esgote a última carta que um jogador tem na mão, isto é, quando todos os jogadores tiverem jogado 10 vezes, cada um.

Ganhará aquele que, somando todos os seus valores, torres de prospecção, reservatórios de petróleo e gás, petroleiros, camiões cisternas e cheques, tiver conseguido obter o maior capital.

Para efeitos de contas, o valor do material de cada jogador, torres de prospecção, reservatórios, etc., tem valor fixo, que é indicado no acto da compra.

As licenças no final do jogo, não têm qualquer valor.

Se por acaso, o banco ficar sem dinheiro, pode pedir um empréstimo a um ou mais jogadores, pagando imediatamente 10% de juros.

Por outro lado, se quem ficar sem dinheiro for um dos jogadores, este terá de abandonar o jogo, retirando o banqueiro do tabuleiro de jogo todos os haveres pertencentes à companhia falida.

Ao iniciar o jogo e a primeira vez que o marcador azul cair numa casa 3 ou 5 (compra de uma licença em terra ou mar), pode duplicar, isto é, o jogador pode comprar duas licenças do quadrado onde se encontra o marcador azul. Atenção que este caso especial, só pode ser feito uma única vez por cada jogador, logo que no início do jogo, a primeira vez que o marcador azul cair num quadrado com estes números.

Os lucros anuais das companhias são pagos pelo banco a todas as companhias sempre que o marcador azul passe ou pare na casa “Passagem de Ano”.
Se o número de jogadores for igual ou menor que 4, pode haver uma “Passagem de Ano” adicional, no quadrado oposto que se apresenta com o mesmo desenho.

Existem alguns quadrados maléficos, como por exemplo “Nacionalização”. Neste caso, o governo resolveu nacionalizar a tua companhia. A partir desse momento, metade dos bens que a tua companhia possui ou vier a possuir em reservatórios e camiões, pertencem ao estado.
Coloca ao lado de cada reservatório de petróleo ou gás e ainda ao lado dos camiões cisternas, que possuis, um marcador vermelho.
Os petroleiros não são nacionalizados.
Enquanto durar a nacionalização, os lucros ou prejuízos da tua companhia serão divididos ao meio, só receberás ou pagarás metade do que o jogo indicar.
Se no final do jogo a tua companhia continuar nacionalizada, ao fazer as contas também terás um corte de 50%, pois metade pertence ao estado.

A aquisição de um petroleiro é bastante onerosa, 300 Milhões de Kartos, pelo que podes fazer a sua aquisição em sociedade.
Se for em sociedade com outra companhia, colocas duas licenças no porto, uma tua e uma da outra companhia que se associou à tua empresa na compra, uma por cima da outra, ficando a tua por cima, e coloca o petroleiro por cima das licenças.

Se for com a ajuda do banco, coloca a tua licença no porto, o petroleiro por cima, e ao lado do petroleiro um marcador verde.

A associação tem sempre de ser a meias (50% para cada companhia/banco), nos lucros e nos prejuízos, e só a tua licença é que comanda as operações.

Em qualquer altura, na tua vez de jogar, podes acabar com a sociedade, propondo ao teu sócio a compra ou venda da sua parte, se ele não estiver interessado podes vender a tua parte ao banco. No futuro o teu ex-sócio passará a ser sócio do petroleiro com o banco.

O valor do petroleiro é de 300 Milhões de Kartos, mas dá lucros anuais de 100 milhões.



Um jogo com tantos anos, mas muito actual e muito interessante. Continua a ser um dos meus jogos preferidos.
É pena que companhias como a Karto tenham acabado.
A Majora lá vai sobrevivendo, mas só com jogos infantis, deixou de editar sobre a licença de outras empresas internacionais com a Ravensburger.

Graças ao site do "Miau.pt", consegui arranjar um exemplar praticamente novo do Petróleo (nunca tinha sido usado e caixa tinha apenas um canto descolado), isto porque o exemplar que me acompanha desde criança já está a ficar gasto, principalmente as cartas, e quero que este jogo dure pelo menos tanto tempo quanto durou até hoje.
Entra na página dreamwithboardgames Nostalgia para fazeres o download das regras originais.


Paulo Santos
Paulo Santos
Maria Constança Silva

8 comentários:

Ogata T3tsuo disse...

Este jogo é um must.
Já o tive quando era miudo e dava tudo para o voltar a ter.

Paulo Santos disse...

Este jogo é um clássico!
Tenta encontrar no miau.pt. Foi neste site de compra que consegui arranjar um exemplar praticamente novo, nunca tinha sido jogado, apenas tinha um canto da caixa danificado.
No miau.pt consegues arranjar muitos jogos da majora e da karto dos anos 60 a 80.
Abraço

caco motociclista disse...

ola preciso da regra desse jogo e saber as peças que ele possue pois o meu está faltando algumas.
meu msn j-carlos1969@hot mail com

Paulo Santos disse...

Olá!
Já emvei as regras para o e-mail.
Quanto às peças tem de ter:
28 torres, 9 6MT, 9 4MT, 9 2MT, 9 reservatórios de gás, 5 petroleiros, 5 camiões cisternas, 3 peões verdes, 1 peão azul, vários peões vermelhos e 60 cartas.

Anónimo disse...

olá,

joguei ontem este jogo a 2 e fiquei bastante impressionado com o jogo.

Ficámos foi intrigados com o só jogarmos 10 cartas cada um, ou seja a 2 o jogo acabou em 15m e demos uma volta e meia ao tabuleiro, cada um com 3 licenças e dois reservatórios...ficou a sensação de "já, mas é só isto??", penso que não iria estragar o jogo se 2 jogadores pudessem dar 2 ou 3 voltas ao baralho...que acham?

dreamwithboardgames disse...

Olá.

Para tornar o jogo mais interessante, quando jogamos com 2 jogadores, cada jogador deve jogar com 2 empresas diferentes. Desta forma passam a estar em jogo 4 jogadores e podes utilizar as tuas 2 empresas para fazer alianças estratégicas.

Abraço.

Anónimo disse...

Olá, eu tenho o jogo mas perdi as regras, alguém mas podia enviar sff?

andrembento@gmail.com

Anónimo disse...

Eu tenho este jogo em perfeitas condições. Quer dizer.... a tampa ja esta danificada numas dobras e o papel da regras ja esta com uma tonalidade amarela. De resto, esta completo.