Through the Ages - FRED Distribution/Czech Board Games

Um jogo de Vlaada Chvatil para 2 a 4 jogadores, a partir dos 12 anos, com a duração mínima de 120 minutos.
Cada jogador desenvolve uma civilização desde a Antiguidade até aos Tempos Modernos, esforçando-se por deixar um último contributo na História. A tua civilização obtém Pontos de Cultura pela sua influência no mundo, por intermédio da literatura, drama, religião, construções maravilhosas, grandes líderes e também com tratados internacionais. Nem toda a influência é positiva: também podes expandir a tua cultura através da lança e da espada, ou fazendo história com um assassinato. Cabe a ti decidir se a tua civilização deixará a sua marca, através do encorajamento das artes, iniciando uma cruzada, ou construindo “franchises” de “fast food”.

A Área de Jogo
O Through the Ages, é um jogo de cartas. Mais que conquistar territórios num mapa, os jogadores desenvolvem a sua civilização, jogando cartas na mesa, à sua frente. O centro da mesa está reservado para o tabuleiro do jogo:
- A longa faixa desenhada, é a Fila das Cartas, onde os jogadores seleccionam as suas cartas.
- A Tabela de Pontuação regista os pontos e providencia um espaço para colocar os vários baralhos de cartas.

Cartas
Existem dois tipos de cartas: Cartas Civis (com as costas claras) e as Cartas Militares (com as costas escuras). As cartas estão classificadas de acordo com a época, em que aparecem:

A – Antiguidade (500 a.c. a 1000)
I – Idade Média (1000 a 1500)
II – Idade dos Descobrimentos (1500 a 1900)
III – Idade Moderna (1900 até ao presente)

As cartas devem ser divididas em oito baralhos – um baralho de cartas Civis e um baralho de cartas Militares, por cada época.
Além disso, existem 4 Tabuleiros Individuais com 6 cartas Iniciais de Tecnologia. Cada jogador deve ter um tabuleiro individual, correspondente à sua cor.

Líderes (Cartas Civis em Verde)
Podes escolher uma personalidade histórica para ser Líder da tua Civilização. Esta figura de liderança pode dar à tua civilização capacidades especiais e benefícios.

Maravilhas (Cartas Civis Roxas)
As Maravilhas são as construções mais extravagantes no jogo. Elas dão benefícios significativos, mas levam tempo e Recursos a construir.

Cartas de Acção (Cartas Civis Amarelas)
Ao contrário da maioria das cartas no jogo, as Cartas de Acção têm um efeito imediato, uma única vez. Quando jogas uma Carta de Acção, faz o que está escrito na carta e de seguida descarta-a.

Civilizações
Cada jogador escolhe uma cor e recebe o Tabuleiro de Individual de Civilização e os Marcadores de Pontuação (cubos coloridos). Cada jogador recebe também 25 fichas amarelas, 18 fichas azuis, 4 fichas brancas e 2 fichas vermelhas. Para além disso, cada jogador recebe ainda um Cartão de Consulta da Visão Geral do Jogo. O Tabuleiro Individual de Civilização e as fichas são posicionados à frente do jogador.

"Image courtesy of boardgamegeek.com user EndersGame"


Fichas AmarelasA População é representada através das Fichas Amarelas de Trabalhador. Cada jogador tem uma provisão pessoal de fichas amarelas.
Das tuas 25 fichas de Trabalhador, posiciona 18 no teu Painel Amarelo, a faixa amarela do teu Tabuleiro de Civilização. As restantes 7 formam a população inicial da tua civilização. Destas, 6 são posicionadas nas cartas, conforme mostra a foto. Elas irão trabalhar e produzir alguma coisa. O trabalhador que sobra, é posicionado no rectângulo laranja, que representa os teus Trabalhadores Inactivos. Os Trabalhadores Inactivos não produzem nada, mas podem ser postos a trabalhar durante o decorrer do jogo.
Quando a população da tua civilização aumenta, tira um Trabalhador do teu Painel Amarelo e posiciona-o no espaço dos Trabalhadores Inactivos. O novo Trabalhador está pronto para assumir um trabalho. Se a tua população diminuir, tira um Trabalhador de uma das tuas cartas ou do teu espaço dos Trabalhadores Inactivos e devolve-o ao teu Painel Amarelo.

Fichas Azuis
Cada jogador tem o seu próprio conjunto de fichas azuis. Uma ficha azul, representa Comida ou Recursos, dependendo da carta que a produz.
A faixa azul do teu Tabuleiro de Civilização, é o teu Painel Azul onde guardas as fichas azuis que não estão actualmente disponíveis para a tua civilização. No início do jogo, todas as tuas fichas azuis estão no teu Painel Azul.
A capacidade de armazenamento de Comida e de Recursos da tua civilização, é limitada. Uma vez gasta a última ficha azul do teu Painel Azul, a tua civilização não pode produzir mais Comida ou recursos.

Tecnologias Iniciais
As seis cartas no Tabuleiro de Civilização são as tuas Tecnologias Iniciais. Elas representam o que a tua civilização sabe e o que pode construir.
Ter a tecnologia para construir uma coisa, não significa o mesmo que ter essa coisa. A quantidade que tens, é determinada pelo número de Fichas de Trabalhador que estão sobre a carta.

Governação
A carta Laranja representa o sistema de Governação da Civilização. Ela especifica o número de acções Civis e Militares disponíveis, em cada vez de jogar.
A seta cinzenta especifica o Limite de Construção Urbana dessa particular forma de Governação. Para o Despotismo, o número 2, significa que podes construir no máximo 2 Templos e 2 Laboratórios. O número de Quintas, Minas e Unidades Militares são ilimitados. Formas de Governação mais civilizadas têm um maior Limite de Construção Urbana (simulando a sua capacidade de gerir um elevado número de grandes cidades).

Pontos de Cultura e Pontos de Ciência
A Tabela de Pontuação tem dois pontos de registos. Os teus pontos totais de Cultura e de Pontos de Ciência são representados pela posição dos teus cubos de marcação nos trilhos
O trilho maior (amarelo em volta do tabuleiro) é para registar os Pontos de Cultura. Quando o jogo termina, o jogador com o maior número de Pontos de Cultura é o vencedor.
O trilho dos Pontos de Cultura, pode registar um máximo de 190 pontos. Se obtiveres mais do que 190, toma nota disso e começa de novo no início do trilho. Não existe qualquer limite de número de Pontos de Cultura que possas alcançar.
O trilho mais pequeno (azul) é para registar os Pontos de Ciência. Os pontos de Ciência são despendidos em novas Tecnologias, pelo que o teu total de Pontos de Ciência irá subir e descer.
Não podes acumular mais do que 40 Pontos de Ciência. Se ganhares mais Pontos de Ciência do que aqueles que podem ser vistos no trilho, deixas o teu marcador no último quadrado mais à direita do trilho, ou seja no último quadrado.

Indicadores de Cultura, Ciência e Força
Estes três indicadores ajudam a registar o actual estado da civilização ao nível da Cultura, Ciência e Força Militar.
Cada civilização produz um certo montante de Cultura e de Ciência, em cada vez de jogar. Os símbolos ao fundo das tuas cartas indicam o que elas podem produzir.
Enquanto os Pontos de Cultura e Pontos de Ciência são acumulados durante o jogo, os indicadores de Cultura, Ciência e Força, apenas reflectem o actual estado da tua civilização. O seu propósito é poupar tempo, eliminado a necessidade de voltar a contar, esses valores, em cada vez de jogar.

Faces de Felicidade
A Felicidade da tua Civilização começa a 0 (Embora tenhas a Tecnologia de Religião, ainda não tens templos). Quando construíres um templo, o cubo avança para o 1. O segundo templo irá fazer avançar o cubo para o 2.
Outras cartas também têm Faces de Felicidade, algumas delas têm mais do que uma.
Fila das Cartas
A fila das cartas começa com 13 cartas civis da Antiguidade.

"Image courtesy of boardgamegeek.com user EndersGame"

A vez de jogar
Na sua vez de jogar, cada jogador faz o seguinte:
1.Adiciona cartas à Fila das Cartas.
2.Eventos (só se for o jogador Inicial e não na 1ª jogada)
Revela a carta topo do monte "Current Events". Todos seguem as suas instruções
3.Acções Civil e Militares.
4.Produção e o Sustento.

Produção e Sustento
A produção e o sustento acontecem automaticamente no final da vez de jogar de cada jogador.
Avança os teus marcadores nos trilhos de Pontos de Cultura e Pontos de Ciência. O montante pelo qual avanças, deverá ser o mostrado pelos teus Indicadores de Cultura e Ciência.

Produção de Comida e Consumo
Cada Quinta produz Comida.Tu tens uma Quinta por cada Trabalhador numa carta de Tecnologia Agrícola. Por cada Quinta, posiciona 1 ficha de Recurso Azul na tua carta. Esta ficha representa o montante de Comida indicada no fundo da carta.
Depois da produção de Comida, a tua civilização consome a quantidade de Comida indicada no teu Painel Amarelo. A quantidade consumida é determinada pelo número negativo ao lado do ícone mais à direita na região não vazia do teu Painel Amarelo.

Produção de RecursosTu tens uma Mina por cada trabalhador numa carta de Tecnologia de Extracção. Por cada Mina, posiciona 1 ficha Azul na carta. Essa ficha representa a quantidade de Recursos indicados no fundo da carta.

» Jogo Simples
Possíveis Acções Civis:
Aumentar População
Construir uma Mina ou uma Quinta
Construir um Edifício Urbano
Upgrade (melhorar) uma Mina, Quinta ou Edifício
Destruir uma Mina, Quinta ou Edifício
Construir uma Etapa de uma Maravilha
Colocar um Líder em Jogo
Descobrir uma Nova Tecnologia e colocá-la em Jogo
Jogar uma Carta de Acção
Tirar uma Carta Civil da Fila das Cartas

Possíveis Acções Militares
Construir uma Unidade Militar
Upgrade (melhorar) uma Unidade
Dispensar uma Unidade


Revolução
A Revolução representa a mudança da Governação pela força.

Mudança Pacífica de Governação
É possível mudar a tua Governação de uma forma pacífica.

Fim do Jogo Simples
O jogo Simples termina no final da jogada em que a última Carta Civil é posicionada na Fila das Cartas. Cada jogador ainda descarta cartas das primeiras posições da Fila das cartas e desliza as restantes cartas em frente, mas nenhuma nova carta é adicionada. Quando o jogador à direita do Jogador Inicial, terminar a sua vez de jogar, cada civilização marca os pontos bónus.
O residual de Comida, Recursos e Pontos de Ciência não valem nada, nem as cartas que permanecerem na mão. Antes de terminar o jogo, os jogadores devem tentar usar o máximo de cartas que consigam.

» Jogo Avançado
Depois de jogares o jogo Simples, provavelmente estás pronto para aprender os mecanismos adicionais do jogo Avançado. Esta versão inclui as cartas da Época II e introduz mais interacção entre as civilizações.
O jogo Simples foi apenas desenhado para ensinar aos novos jogadores o básico do Through the Ages, mas o jogo Avançado foi desenhado para ser uma alternativa mais curta ao jogo Completo, fornecendo mesmo assim diversos desafios.

Conceitos adicionais no jogo Avançado:
-Cartas Militares (para interacção entre Civilizações)
-Acções Políticas (cada jogador pode realizar 1 Acção Política no início da sua vez de jogar)
-Felicidade (a tua população precisa de divertimento)
-Corrupção (Quanto mais armazenas Comida e Recursos, mais difícil é de impedir de estes serem roubados)
-Tácticas (as tuas Unidades podem formar Exércitos)
-Obsolescência (algumas coisas tornam-se obsoletas no final de uma Época)

» Jogo Completo
Num jogo completo, conduzes a tua civilização ao longo das Épocas: desde a Antiguidade até aos Tempos Modernos. O Jogo completo é recomendado para os jogadores que compreendem bem as regras e as cartas introduzidas no Jogo Simples e no Jogo Avançado. O jogo Completo tem alguns mecanismos novos, mas uma vez que cobre todas as Épocas, é indicado para os jogadores que dominam suficientemente bem o jogo para jogá-lo rápido e com eficiência.

Modo de Jogar
Inicialmente, o jogo é igual ao Jogo Avançado. Contudo, a Agricultura e a Felicidade irão ter um maior papel no Jogo Completo, porque sempre que terminar uma Época, cada civilização perde duas fichas amarelas do seu Painel Amarelo.
As Guerras começam a aparecer na Época II, ameaçando as Civilizações que não se conseguem manter na corrida pelo armamento.
A Época III tráz Tecnologias, Maravilhas e Líderes dos Tempos Modernos. As Maravilhas Modernas e Eventos dão-te pontos bónus que marcas imediatamente.
A Força Área introduz uma nova dimensão à guerra.
Quando a Época III termina, inicia a Época IV e os jogadores jogam as suas vezes de jogar até ao final da Jogada. A seguir, ao contrário do jogo Avançado, todos obtém mais uma vez de jogar.
O jogo termina com todos a pontuar os pontos indicados pelas restantes cartas da Época III nos montes de cartas “Current Events” e “Future Events”. O jogador com o maior número de Pontos de Cultura é o vencedor.
Para além dos 3 modos de jogar: Simples, Avançado e Completo, os jogo tem várias variantes à disposição dos jogadores.
"Image courtesy of boardgamegeek.com user EndersGame"

O Through the Ages, é um jogo complexo. Pode até parecer, à primeira vista, mais complexo do que realmente é. Essa sensação surge, quando começamos a ler as regras. Devemos, contudo, seguir as recomendações do autor, que defende, quando jogamos o jogo pela primeira vez, o devemos fazer ao mesmo tempo, que lemos as regras para o jogo Simples. Vão ver que tudo se torna mais simples de entender.
Antes de avançar para o jogo avançado, devemos jogar o jogo Simples várias vezes, até que os mecanismos básicos do jogo estejam dominados. Deixem o jogo Completo para uma aventura, mais tarde no tempo. Não tenham pressa, avancem cada passo de cada vez.
Foi uma tradução que me deu muito trabalho, dado a sua complexidade. Normalmente, conforme vou evoluído na tradução de um jogo, vou concebendo mentalmente todos os mecanismos do jogo, percebendo todas as suas interacções e consequências. Com este jogo, não foi diferente, no entanto, tive de me socorrer mais vezes dos materiais do jogo, para esclarecer as dúvidas que iam surgindo, sendo que só foram completamente dissipadas, quando joguei o jogo pela primeira vez.
O jogo está muito bem estruturada, nota-se bem o bom trabalho de planeamento estratégico realizado pelo autor.
O nível de complexidade deste jogo, faz-me lembrar o Agrícola, sendo que o tema é completamente diferente.
Estamos perante um jogo de cartas de qualidade, que requer muita atenção, estratégia e capacidade de gestão.
A atenção é indispensável, existem muitos passos que têm de ser efectuados, na nossa vez de jogar, e é muito frequente esquecerem-nos de marcar os Pontos de Cultura e Pontos de Ciência.
Temos de ter noção da diferença entre pontos e indicadores. Os pontos vão sendo acumulados, jogada após jogada, em função dos indicadores, os quais mostram o estado actual da nossa civilização.
O jogo é indicado para jovens a partir dos 12 anos, sinceramente não acredito que o consigam jogar sozinhos, sem que tenham a ajuda de jovens mais velhos, ou mesmo de um adulto.
Quando estava a meio da tradução, perante tantas variáveis e estratégias possíveis, comecei a duvidar, se iria gostar de jogar o jogo. No entanto, depois de terminada a tradução, não perdi tempo, pôs “mãos à obra” e debrucei-me literalmente sobre o jogo. Com o desenrolar das várias jogadas, fui deliciando-me com a qualidade do jogo.
As várias interacções do jogo, tais como: produção de recursos, a produção de comida, trabalhadores activos, trabalhadores inactivos, trabalhadores descontentes, consumo, governação, corrupção, rebelião, etc; mostram o cuidado que houve na construção do jogo, onde tudo faz sentido, conseguindo transmitir, a realidade da evolução e desenvolvimento de uma civilização, desde da antiguidade até aos nossos tempos.
E como a história sempre nos ensinou, nada se constrói, sem que uma espada seja levantada, contudo, as guerras não são um factor decisivo, mas são um factor dissuasor. Não podemos neglicenciar a construção de uma força militar razoável, para impedir que sejamos dizimados, pelos nossos adversários. No entanto, não é preciso uma corrida desenfreada ao armamento, até porque isso pode quebrar o equilíbrio da nossa civilização em relação a outros factores mais importantes.
Recomendo a utilização dos cartões de ajuda para consultar como se joga a nossa vez de jogar. Estes cartões estão muito bem elaborados, facilitando a vida a cada jogador e tornando cada jogada mais dinâmica.
Os materiais do jogo são de qualidade, especialmente os tabuleiros individuais, cujos versos têm uma grande qualidade gráfica.
É um excelente jogo de estratégia, onde temos de mostrar as nossas capacidades de gestão e de governação de uma civilização, desde a antiguidade até aos tempos modernos.
Recomendo este jogo, mesmo aqueles que nunca tenham jogado um jogo deste tipo ou com esta complexidade, acreditem que é uma boa escolha.
Para todos aqueles que gostam de jogos do tipo do Agricola, Puerto Rico e Goa, e que querem mudar de tema, este jogo é uma excelente escolha.
Quem gosta de jogos como o “War! Age of Imperialism ou “Sid Meier's Civilization: The Boardgame”, e que queira experimentar um jogo mais complexo, sem o realismo das miniaturas, mas com mais estratégia e imaginação, tem aqui uma excelente escolha.
De referir que o limite de 4 jogadores, foi uma escolha acertada do autor, caso contrário, tornaria o jogo demasiado pesado, mais complexo, e acima de tudo mais demorado, que as duas horas prevista de duração pelo autor.
Para terminar, queria deixar uma última observação para as regras do jogo, que são umas das regras melhor elaboradas que alguma vez traduzi, ou joguei.

A minha tradução das regras para Português, está disponível na Divercentro.


Paulo Santos
Paulo Santos
Paulo Santos
Maria Constança Silva

5 comentários:

Dune disse...

O artigo está soberbo!

Cacá disse...

Grande Paulo...

Esse realmente é um dos jogos mais bacanas lançados nos últimos tempos, pena que a duração dele impeça de jogarmos mais vezes...

abraços do Brasil

Paulo Santos disse...

Cacá,
De facto é um jogo que demora muito tempo, mas o jogo é muito bom.
Nem imaginas as horas que tive de jogar para testar a tradução das regras do jogo.

Abraço de Portugal


Dune,
Obrigado.

Anónimo disse...

Este artigo dá uma grande ajuda...
Obrigado

b52

Paulo Santos disse...

Volta sempre.
Todas as semanas há novidades aqui no blog.

Abraço